Saúde de Cabo Frio participa de campanha sobre testagem de hepatites B e C nesta terça

Para marcar o Julho Amarelo, mês de prevenção às hepatites virais, a Secretaria de Saúde de Cabo Frio, em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (SES/RJ), promove campanha para testagem da doença nos tipos B e C. A ação acontece nesta terça, dia 24, na Praça do Hospital do Jardim Esperança, das 9h às 16h, e vai contar um uma unidade móvel da Gerência Estadual IST/AIDS e Hepatites virais da SES/RJ com três consultórios. A estimativa é de que sejam realizados 250 testes.

“A hepatite C é uma doença com mais de 90% de cura. Quanto mais precoce for o diagnóstico maior é a chance melhora e menor é a possibilidade de complicações. Com o passar do tempo, a doença se torna crônica e a partir dela o paciente pode desenvolver cirrose e, consequentemente, câncer de fígado”, explicou a médica Aparecida Castorina Monteiro dos Santos, coordenadora do Programa IST/AIDS e Hepatites de Cabo Frio.

Segundo ela, além da testagem haverá aconselhamento pré e pós-teste e todos os pacientes com diagnóstico feito na campanha serão encaminhados para a unidade de referência de Cabo Frio, que é o Hospital-Dia, anexo ao Hospital São José Operário, localizado na Rua Expedicionário da Pátria, em São Cristóvão. Quem quiser fazer o teste pode comparecer na ação na praça munido de documento de identidade com foto e não há necessidade de estar em jejum.

De acordo com Castorina, o Brasil vem sendo considerado um exemplo no que se refere à abordagem às hepatites virais. Em Cabo Frio, foram 39 casos da doença, sendo 24 para o tipo C e 7 para o B em 2016. No ano seguinte, houve uma queda nos índices e a cidade registrou 15 casos de hepatite C e 10 do tipo B. Este ano, até o momento são 2 do tipo C e 1 do tipo B.

No início deste mês, o Ministério da Saúde em parceria com estados e municípios, lançou um plano de erradicação da hepatite C no Brasil até 2030. A proposta pretende simplificar o diagnóstico, ampliar a testagem e fortalecer o atendimento às hepatites virais. O documento vai definir, ainda, as populações prioritárias para tratamento, além de avaliar a incorporação de novas tecnologias.

Segundo dados do MS, atualmente, a hepatite C tem o maior número de notificações dentre todas as hepatites. Em 2017, a taxa de incidência foi de 11,9 casos por cada 100 mil habitantes. São mais de um milhão de pessoas que tiveram contato com o vírus do tipo C, o que representa 0,71% da população brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *